Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

madrugada
No comando: Madrugada 93

Das 00:00 as 05:00

normal
No comando: Programação normal

Das 05:00 as 06:00

territorio
No comando: Território Sertanejo

Das 05:00 as 07:00

saudade
No comando: Saudade Sertaneja

Das 05:00 as 07:00

bom-dia-93
No comando: Bom Dia 93

Das 06:00 as 08:00

normal
No comando: Programação normal

Das 08:00 as 10:00

93-minutos
No comando: 93 Minutos

Das 09:00 as 10:30

as-campeas
No comando: As campeãs da 93

Das 10:00 as 11:00

normal
No comando: Programação normal

Das 10:30 as 11:00

programadores
No comando: Programadores 93

Das 11:00 as 12:00

93-graus
No comando: 93 Graus

Das 12:00 as 13:00

arquivo
No comando: Arquivo 93

Das 12:00 as 13:00

alo
No comando: Alô 93

Das 13:00 as 16:00

normal
No comando: Programação normal

Das 13:00 as 20:00

normal
No comando: Programação normal

Das 13:00 as 22:00

as-campeas
No comando: As campeãs da 93

Das 16:00 as 17:00

sertanejo
No comando: Sertanejo 93 FM

Das 17:00 as 18:00

corneteiros
No comando: Corneteiros 93

Das 18:00 as 19:00

noite
No comando: Noite 93

Das 20:00 as 00:00

noite
No comando: Noite 93

Das 22:00 as 23:59

Seis em cada dez brasileiros viram mulher sofrer violência em 2018

Compartilhe:
violencia-mulher

Uma pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e do Instituto Datafolha aponta que, no ano passado, 59,1% das pessoas presenciaram algum tipo de violência sofrido por mulheres. A maior parte, 42,6%, foram assédios, cantadas ou outros tipos de abordagens desrespeitosas na rua, feitas por desconhecidos.

De acordo com o fórum houve uma diminuição no número de brasileiros que afirmam que viram abordagem violenta contra as mulheres: a edição anterior, de fevereiro de 2017, 66% dos entrevistados disseram ter presenciado.

A pesquisa sobre o ano passado também aponta que 36,5% das pessoas viram homens xingando, humilhando ou ameaçando mulheres com quem se relacionaram amorosamente. O levantamento ainda mostra que 28,7% das pessoas viram vizinhas sendo ameaçadas por namorado, ex-namorado, marido, ex-marido, companheiro ou ex-companheiro, e 27,7% viram sendo agredidas.

O levantamento ainda mostra que 20,3% dos entrevistados dizem que já viram meninas, moças ou mulheres que residem na vizinhança sendo agredidas por parentes como pai, irmão, tio, cunhado, padrasto, entre outros.

A pesquisa foi realizada nos dias 4 e 5 de fevereiro, em 130 municípios de todas regiões do Brasil. No total, 2.084 pessoas foram entrevistadas.

(Redação 93 FM/R7)

Deixe seu comentário: