Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

madrugada
No comando: Madrugada 93

Das 00:00 as 05:00

normal
No comando: Programação normal

Das 05:00 as 06:00

territorio
No comando: Território Sertanejo

Das 05:00 as 07:00

saudade
No comando: Saudade Sertaneja

Das 05:00 as 07:00

bom-dia-93
No comando: Bom Dia 93

Das 06:00 as 08:00

normal
No comando: Programação normal

Das 08:00 as 10:00

93-minutos
No comando: 93 Minutos

Das 09:00 as 10:30

as-campeas
No comando: As campeãs da 93

Das 10:00 as 11:00

normal
No comando: Programação normal

Das 10:30 as 11:00

programadores
No comando: Programadores 93

Das 11:00 as 12:00

93-graus
No comando: 93 Graus

Das 12:00 as 13:00

arquivo
No comando: Arquivo 93

Das 12:00 as 13:00

alo
No comando: Alô 93

Das 13:00 as 16:00

normal
No comando: Programação normal

Das 13:00 as 20:00

normal
No comando: Programação normal

Das 13:00 as 22:00

as-campeas
No comando: As campeãs da 93

Das 16:00 as 17:00

sertanejo
No comando: Sertanejo 93 FM

Das 17:00 as 18:00

corneteiros
No comando: Corneteiros 93

Das 18:00 as 19:00

noite
No comando: Noite 93

Das 20:00 as 00:00

noite
No comando: Noite 93

Das 22:00 as 23:59

Percentual de famílias com dívidas sobe pelo 6º mês seguido e chega a 64%

Compartilhe:
5c50ad3d08a992477399c73b153d1963fav

O endividamento das famílias registrou a sexta alta seguida em junho, de acordo com pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Comércio.

Em junho, o percentual de famílias brasileiras endividadas alcançou 64%. Trata-se do maior percentual desde julho de 2013.

O número de famílias com contas ou dívidas em atraso, porém, diminuiu em junho, na comparação com maio, passando de 24,1% para 23,6% do total – a primeira queda do ano.

Já o número de famílias que declararam não ter condições de pagar suas dívidas em atraso, permanecendo inadimplentes, ficou estável em 9,5% na comparação com o mês anterior.

O cartão de crédito foi mais uma vez apontado como o principal tipo de dívida por 78,8% das famílias endividadas, seguido por carnês com 15,8% e financiamento de carro com 10,5%.

(Redação 93 FM/G1)

Deixe seu comentário: